Publicidade

Especiais

O Caminho da Literatura

19/02/2020 às 10:53 / Fonte Fotos: Gabriel Munhoz / Por Renato Félix

O Caminho da Literatura
O escritor paraibano Tiago Germano constrói a própria estrada com seus dois livros


A vontade de contar para o mundo suas histórias é forte no paraibano Tiago Germano. E o levou longe, através de um caminho que ele mesmo resolveu construir, através do financiamento coletivo pela internet de seu primeiro livro solo, a coletânea de crônicas Demônios Domésticos, lançado em 2017 pela Editora Le Chien. Não demorou um ano e ele lançou o segundo, um romance: A Mulher Faminta, pela Editora Moinhos.

E essa produção teve sua gestação em outro dos caminhos que o escritor e a literatura traçaram juntos: o doutorado em Escrita Criativa pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Uma imersão para afiar os talentos e a destreza no uso da palavra. O resultado começou a aparecer antes mesmo que os livros saíssem da incubadora. 

Demônios Domésticos, por exemplo, abre com a crônica "Óculos ray-ban", que já chegou lá premiada: ganhou o Prêmio Sesc/DF Rubem Braga em 2016. A Mulher Faminta, por sua vez, foi finalista do Prêmio Sesc de Literatura em 2015. 

Tiago Germano tem outros reconhecimentos ao longo dessa estrada inicial. Ainda em 2005, o suplemento Correio das Artes, do jornal A União, o premiou como autor revelação — algumas das crônicas que motivaram o prêmio estão em Demônios Domésticos. Em 2016, publicou um conto na antologia do Prêmio Off-Flip de Literatura, foi finalista da Segunda Temporada de Originais da Editora Grua e do Prêmio Açorianos de Criação Literária.

Em 2018, mais uma final: a do Prêmio Nacional Cepe. O material é o romance O que Pesa no Norte, produzido em seu mestrado e ainda inédito. 

Pode ser o próximo passo do escritor que também é um corredor de rua. A estrada da literatura, que já o levou a uma longa temporada em Porto Alegre, para sua pós-graduação, também o levou de volta à sua cidade natal, Picuí, no sertão paraibano. Lá, ele também botou para fora seus Demônios Domésticos no começo de 2018.

Tanto em um livro quanto no outro, nos textos curtos ou no longo, Tiago Germano usa o que viveu e as pessoas que conheceu como mola propulsora para sua imaginação, temperada pela cuidadosa arquitetura das palavras. Enquanto o novo livro não vêm, ele prossegue em seus estudos agora na Inglaterra e seu palco é tanto o site Literatortura quanto coletâneas diversas, como Torturas de Amor, com contos baseados em canções do universo brega. Uma maneira de não ficar muito longe daquele a quem busca no sonho artístico que o tem feito calçar o tênis e correr em sua direção: o leitor.

Mais matérias

Publicidade
Máxima Tecnologia